sexta-feira, 14 de junho de 2013

ARVORES FRUTÍFERAS DE BREJAUVA

Classificação Taxonômica

Classe: Liliopsida (Monocotiledônea)
Família: Arecaceae (Palmae)
Gênero: Astrocaryum
Espécie: Astrocaryum aculeatissimum (Schott) Brurret
Brejaúva

O gênero Astrocaryum Myer

45 espécies nas Américas 31 espécies no Brasil maioria na região amazônica suas espécies fornecem a partir de suas folhas, em especial dos folíolos, uma fibra fina e resistente conhecida como "TUCUM".
O tucum é utilizado para a confecção de redes de descansar, de pesca ou ainda para fazer cordas e sacolas.

Brejaúva

Astrocaryum aculeatissimum (Schott) Brurret
Nomes populares
Ariri, Ariri-açu, Coco-airi, Iri, Tucum-verdadeiro, Brejaúba e Brejaúva.
Distribuição geográfica
Bahia até Santa Catarina e Minas Gerais, na floresta perenifólia costeira e nas áreas abertas.
A madeira da Brejaúva é conhecida como "marfim vegetal" em função da sua dureza e resistência que se assemelha à de um osso.

Brejaúva

Astrocaryum aculeatissimum (Schott) Brurret
Nomes populares
Ariri, Ariri-açu, Coco-airi, Iri, Tucum-verdadeiro, Brejaúba e Brejaúva.
Distribuição geográfica
Bahia até Santa Catarina e Minas Gerais, na floresta perenifólia costeira e nas áreas abertas.
A madeira da Brejaúva é conhecida como "marfim vegetal" em função da sua dureza e resistência que se assemelha à de um osso.

Uso econômico

1) potencial paisagístico, apesar de muito agressiva com espinhos negros, brilhantes, achatados que alcançam 11 ou até 20 cm de comprimento
2) ripas para construção
3) na confecção de arco e flechas pelos indígenas
4) o endosperma do fruto verde é líquido e usado como bebida, medicinalmente como laxativo, para tratamento de certas doenças causadas por fungos, além de apresenta atividade vermífuga
5) suas folhas são usadas para fazer vassouras e chapéus

Uso econômico na região de Registro

1) confecção de artesanato (esculturas e ornamentos)
2) utensílios domésticos (colheres, garfos, "hashi", etc)

Bibliografia consultada

BONDAR, G. Palmeiras do Brasil. Instituto de Botânica, Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo, Boletim no. 2, junho - 1964. BORN, G.C.C. & RODRIGUES, E. A Beleza da Mata Atlântica em Arte. Vitae civilis - instituto para o Desenvolvimento, Meio Ambiente e Paz, São Paulo. 1998. JOLY, A.B. Botânica: introdução à taxonomia vegetal. Editora Nacional, são Paulo. 1983. LORENZI, H.; SOUZA, H.M.; MEDEIROS-COSTA, J.T.; CERQUEIRA,, L.S.C.; BEHR, N. Palmeiras no Brasil. Editora Plantarum, Nova Odessa, 1996. MEDEIROS-COSTA, J.T. Flora Fanerogâmica da Ilha do Cardoso (São Paulo, Brasil) - Arecaceae (Palmae) In M.M.R.F. de Melo (ed.), flora Fanerogâmica da Ilha do Cardoso v.10, p. 57-75. 2003. RIZZINI,C.T. & MORS, W. Botânica Econômica Brasileira. Âmbito Cultural Edições Ltda., Rio de Janeiro. 1995.
Fonte: www.registro.unesp.br
Brejaúva


Brejaúva
Brejaúva
Brejaúva
Brejaúva

Nome cientifico

Astrocaryum aculeatissimum Família: Arecaceae Nomes populares: Palmeira brejaúva

Onde é encontrada

Encontrada com pouca freqüência, especialmente dentro de matas fechadas, no sub-bosque, preferindo áreas alagadas ou úmidas. Eu a vejo no Parque Florestal do Rio Doce.

Características

Palmeira de pequeno a médio porte, 3 a 8 metros de altura, tronco coberto de espinhos muito finos e agudos. tem folhas prateadas no lado de baixo, frutos redondos, quando verdes contem pequena polpa e água no interior, como o Coco da Bahia. Maduros ficam roxos e tem castanha comestível.

Utilidades

Não detectado.

Época de floração e frutificação

Frutos de Novembro a Dezembro.
Fonte: www.arvores.brasil.nom.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário